23.8.05

Corto


Acho que muitos de nós gostariam de ser o Corto. Corto Maltese. Participar em revoluções na América Latina. Viver paixões na Europa românctica. Ser livre como o Corto - liberal como o Corto - intelectual como o Corto - enigmático como o Corto.

Por muito bem que nos saiba uma vida calma e sem sobressaltos - em que tudo segue o caminho devido e até as surpresas são previa e escrupulosamente planeadas - há um dia ou outro (semana, mês...) em que gostávamos de ser o Corto Maltese - eu sei que gostava! Largar tudo e partir à descoberta de novos mundos. Apaixonarmo-nos por mulheres que trazem o perigo no corpo. Ter como rotina a incerteza e surpreendermo-nos com tudo o que nos rodeia. Após uma geração falsamente idealista dos anos 60 e 70 (afinal, eles são nossos pais e levam uma vida ordeira e conformada) e uns anos 80 que apenas marcam por terem afirmado a "martelada" como suposta forma musical, chegou a nossa época. Somos a geração do hei-de, do esperem e verão... somos os inconformados que não se dão ao trabalho de mudar seja o que for. Mas exaltamos em demasia as nossas capacidades de imaginar um mundo melhor.

Talvez um dia eu seja como o Corto. Corto Maltese. Aliás, tenho a certeza de que um dia eu e o Corto seremos companheiros de viagem. Mas, até lá, terei de me contentar em jogar semanalmente no Euromilhões e ler os livros do Hugo Pratt e do Al Berto (esses sim, verdadeiros companheiros do Corto). Já é um princípio!... Tenho muito tempo para ser revolucionário, apaixonado, livre, liberal, intelectual e enigmático como o Corto.

Mas não tenho a certeza de estar convencido disso...

R.


P.S. na mesma noite, no Lugar da Rosa

8 comentários:

polegar disse...

é complicada a noção de que, por vezes, não estamos, afinal, a mudar nada ou a ser em nada diferentes. sem entrar em dissertações pseudo-intelectuais, o facto é que a sociedade de hoje em dia é exigente e deixa pouca margem para se fazer aquilo em que se acredita. temos sempre as contas para pagar, e inevitavelmente vamos contribuir para a dívida nacional.
mas é em Corto e outros como ele que encontramos as noites quentes de cigarros e tango. quem sabe podemos mudar um bocadinho? e quando chegar a nossa altura, esperamos que alguns de nós se lembrem e, enquanto pais, não autorizemos que os nossos filhos sejam conformados... pelo menos tanto...

angel_of _dust disse...

pergunto eu: será que o que ainda podemos mudar é apenas um bocadinho? será que iremos aos nossos filhos a não serem tão conformados?

parece-me tão pouco...

Blog disse...

Não vos conheço pessoalmente. Só ao vosso roçajar de íntimo que é um blog. Intrometendo-me descaradamente no vosso diálogo...eu sempre quis não seguir a norma (tenho problemas de pele para com os rebanhos) e agora encontro-me no dilema moral mencionado pela polegar: pagar as contas ou viver intensamente? Será possível conjugar as duas coisas (dentro do normal em Portugal?)...
Bem...hei-de resolver estas dúvidas. Quanto ao tango, deixo uma sugestão em www.ilcru.blogspot.com

Beijinhos a ambas...

polegar disse...

angel, podemos mudar. ponto. mas temos de estar dispostos a sofrer as consequências. não é simplificar mas ter noção do que acontece. podemos sair-nos bem, podemos tentar conciliar, ou podemos conformar-nos. temos escolhas, são caminhos idiotas muitas vezes. se puder mudar um bocadinho, ter felicidade e equilíbrio dentro de mim, consegui. seja de acordo com as normas ou não. eu conformar-me não sou capaz. estou a tentar conciliar. porque os projectos entrecruzam-se. misturam-se e queremos mais do que uma coisa ao mesmo tempo. mas há coisas de que não abdico. venha quem vier. e tu?
blog: vou espreitar-te. mas enretanto: o angel é muito gajo! :P

angel_of _dust disse...

polegar: tenho que admitir que tenho "fases". já fui mais rebelde, tentando sugar o tutano da vida... depois, acho que procurei (precisei?) algum conformismo, alguma calma. é mais fácil, à primeira vista, seguir uma norma já bem assente e regrada, ao invés de trilhar (muitas vezes sós) a nossa própria rota de navegação.

neste momento, acho que estou a precisar novamente de mais. quero novamente olhar a noite e a lua de frente (frase de um amigo que não vejo há muito - ele assim definia esta 'inquietude da alma'). preciso novamente de me perder, para que volte a encontrar o eu que me agrada... o blog é mais uma "acha para essa fogueira".

ou seja, pressinto mudanças para breve - vamos a ver o que dá!

angel_of _dust disse...

... apropósito, qu'é essa do angel ser muito gajo, ahnn?! LOL

Blog disse...

Não duvido que o angel seja muito gajo. Também não estou numa de engate cibernáutico ;)

Beijos, abraços e felicidades

maltese dog obedience training disse...

maltese dog obedience trainingidea for your dog. If you're like most pet owners you don't want your dog peeing or pooping in your home. Sending you this linkhttp://maltesetrainer.com about maltese dog obedience training for anyone that is having problems with their dogs. This is a simple idea that most people can use for their Doberman Pinchers. I don't want to get into a lot of detail about this simple idea for training your dog. Visit the web site if your tired of your dogs not listening to you.

Share the good links to great sites Please