10.8.05

Vôo inicial... sobre a poeira dos dias

Primeiras palavras... momento importante. De que quero falar? Quero mesmo falar... ou "despejar" imagens, sons, cheiros - memórias e lembranças, sonhos e expectativas?

Sobre as minhas asas, a ideia de abrir uma "porta" por onde lançarei o que me apetecer - exorcismo ou tratamento. Sobre as minha asas um poema, de um autor que, suspeito, me irá acompanhar... há já algum tempo que o faz, e espero que não me abandone agora.

Espero não me perder.

R.



«Subo à macieira sonhada pela criança, colho maçãs pintadas a marcador amarelo.E numa delas descubro a lagarta às riscas, como a tua camisola de marujo.
Era quase noite, recordo-me, quando desci da árvore e a criança que foras antes de mim não tinha nome.
Hoje, salto desta folha de papel para a noite, perco a infância na poeira dos dias.
Regresso lentamente à minha idade, e um astro refulge sobre o teu rosto adormecido.
Perdeste o nome como eu há muito perdera a infância.
Mas quando o teu olhar me sulca e fere o corpo e me devolve, por segundos, o que perdi, há um amanhecer feliz.
E tens um nome, e não voltaremos a estar sozinhos.»
(Al Berto)

Sem comentários: