12.4.06

Quando cheguei à cidade

Lembro-me de quando cheguei à cidade. Anjo estrangeiro em terra estranha. Há muito que a expectativa existia - sair do ninho, aventurar-me no desconhecido. Quando a oportunidade surgiu, não hesitei. E foi assim que me vi, malas na mão, com um novo mundo perante os meus olhos. Sempre gostei de viajar; mais até do que passear. Sempre gostei de "submergir" nas multidões, ninguém me conhecendo. Perder-me para me reencontrar - redescobrir. Um anjo desconhecido por todos, voando baixinho. Mas desta vez, tudo era diferente. A viagem seria mais longa que o habitual. O ninho teria de ser esquecido por dias, semanas... meses.

E assim cheguei à cidade. A língua era parecida, pelo que o primeiro contacto não foi tão difícil quanto esperava. E, contudo, não pude evitar o choque de ter de me habituar a viver com palavras distintas, ideias distintas. Mesmo o que é familiar torna-se estranho, se visto com diferentes olhos. Tinha agora, que o próximo se transformara em longe, que tornar esta estranheza em proximidade - esta cidade seria a minha durante os tempos vindouros.
Já tinha estado naquela cidade. Sabia bem o caminho a tomar. Mas agora esse caminho era projecto, era continuidade ao invés de mera passagem.

Arranjar onde descansar as minhas asas - primeira tarefa. E, com esforço, lá encontrei onde pousar a mala, o corpo e a alma. E agora? Confesso que não tinha pensado muito no que fazer depois... Ou melhor, sabia o que queria - queria sugar o tutano daquela viagem; não deixar nada por viver, por sentir. Mas como fazê-lo? A primeira noite, a primeira angústia...

(CONTINUA)

R.

2 comentários:

Nuno Guronsan disse...

E que cidade é esta onde o anjo agora estende as suas asas? Por que are voas agora? Quero saber mais... De um ex-viajante para um anjo que se aventura no desconhecido...

angel_of _dust disse...

Nuno... lembro-me agora dessa viagem, mas já a realizei há muito - estou de volta. Mas garanto-te que o "record" de distância é mesmo teu LOL

Eu fiquei-me por uma cidade banhada pelo mar, de areal extenso e cores diversas... não é difícil descobrires :)