7.10.06

Não

(primeiro desabafo)

Estou farto que todos olhem por mim, e não para mim. Estou farto que me façam perguntas para que eu valide as suas próprias respostas - a sua própria verdade. Não quero ser árbitro, muito menos espectador - eu sou interveniente, sou activo e não passivo. Não quero ser um mero espelho. Não me utilizem para se auto-afirmar, para se promover, para se congratular. Tão-pouco sirvo para eco das vossas frustrações. Sou amigo do meu amigo, amante de quem me quiser amar. Ajudo quem posso, muitas vezes em meu prejuízo. Mas não abusem de mim.

Chega do que eu digo não adiantar para nada. Chega de falar convosco, para depois perceber que mais valia ficar calado, porque só fingiram ouvir. Não pensem que me adormecem definitivamente, com as vossas conversas de ocasião, e saudações passageiras - embora pareça conformado, estou apenas a retemperar forças.

Aceitem quem sou - as minhas opções, as minhas virtudes e defeitos, as minhas vontades e caprichos. Pelo menos tentem! Como eu tento perceber as vossas falhas e imperfeições, tentem também entender as minhas. Acho (aliás, tenho a certeza) que há muito mereci o espaço que peço; não mo tentem agora tirar de mansinho. Se isso acontecer, não se espantem por, um dia destes, eu abrir as minhas asas vermelhas e levantar vôo, em direcção a novas cidades. Estarei a exercer o meu direito de descanso de todos vós. Permitam-me isso, como sempre permitiram e aceitaram com agrado a minha disposição em ampará-los nas minhas frágeis asas.

r. (pequeno)

2 comentários:

sassita disse...

Ás vezes olha-se para os outros em busca de coisas que nos façam sentir melhores, como se o mal dos outros por vezes provocasse o nosso bem... Não é de todo errado mas é uma questão de sobrevivência(auto-estima)...
Não creio que te devesses sentir mal mas creio que estás numa fase de elevação pessoal e que irás conseguir futuramente.
Não te conheço senão pelo teu blog mas não devo de estar totalmente errada...

angel_of _dust disse...

concordo contigo, sassita, mas naquela altura precisei de largar algum fel (mas também porque me fartei que mo largassem em cima de mim).

realmente buscamos nos infortúnios dos outros antídoto para as nossas maleitas do corpo e da alma. pena é que nos habituemos a isso, evitando assim ter de que tomar posição sobre os nossos verdadeiros obstáculos. pena é também que, na maior parte das vezes, não possamos mudar de caminho - apenas porque todos se "aconchegaram" a nos conhecer de determinada forma, não pertmitindo que nos reinventemos. mas enfim...

quanto a não me conheceres se não pelo meu blog... digo-te que assim será a forma de melhor me conheceres. eu fui dar uma "saltada" aos teus blogs, e irei passar a cliente habitual ;)