16.5.08

Todas as manhãs

Todas as manhã tenho palavras novas para te dar. Em troca de nada. Ou melhor, em troca de estares disposta a ouvir. O que te tenho para dizer. Às vezes histórias de países distantes. De aventuras épicas. De heróis na forja. Outras vezes conto-te apenas os meus sonhos. Aqueles que me invadiram a alma enquanto dormia a teu lado. Enquanto velavas pelo meu sono. Ou falo-te do que vi na televisão. E como a minha vontade de aventura choca tantas vezes com a tristeza de afinal o mundo não ser tão bonito quanto gostava. Mas o nosso mundo, esse é sempre bom. E tantas manhãs irei acordar-te só para falar de novas ilhas que descobri - e onde te quero levar. Lugares onde o teu sorriso será suficiente para sustentar o sol. Onde os teus olhos irão iluminar as noites à beira-mar. Às vezes irei acordar-te para te contar histórias que ambos vivemos e agora recriamos a nosso prazer. E irei pedir-te que também me fales dos teus sonhos. Daqueles pensamentos que te fizeram rir a meio da noite - sim, eu acordei com o teu riso e passei horas a observá-lo, a cuidar dele. Depois, deixei-me adormecer e snhei. E nesse sonho o teu riso prolongou-se - até de manhã. E assim, com o raiar do dia irei contar-te o teu riso. Para que não te esqueças dele. Todas as manhãs irei afagar-te os cabelos e dizer bom dia, como na primeira vez em que acordámos juntos. E irei deslumbrar-me, como na altura, com a forma enternecida como me retribuis o olhar e me dizes bom dia. E assim ficaremos a olhar um para o outro - talvez esperando que o outro diga algo. Mas nem sempre as palavras serão necessárias. às vezes os silêncios bastarão. Serão suficientes para contar a nossa história. A que passou. E principalmente a que está ainda por vir. E que caberá a nós inventar... Com as palavras, os sons - com o corpo, as carícias e os suores - mas principalmente, com as emoções e com a alma. Todas as manhãs as nossas vidas irão recomeçar. Com a surpresa do que virá e a certeza do que já temos.

R.

3 comentários:

A disse...

E tantas e tantas vezes basta essa certeza de manhãs futuras, que ainda não são, mas que um dia serão, que ainda não vivemos mas que nos fazem ter força para enfrentar mais um dia, um amanhã que nos nossos sonhos, nas nossas ilusões serão não apenas mais uma, mas a manhã com que se sonha eterna.
Beijinho enternecido por este acordar.

C. disse...

Muitas vezes essas certezas do que já temos, do que vivemos e conquistámos, são como a brisa que nos empurra através dos dias, enquanto buscamos as surpresas que estão para vir, enquanto tivermos coragem para as (re)inventarmos e força para realizar os nossos sonhos. mesmo que por vezes em silêncio. mesmo que muitas vezes à distância. todas as manhãs. e todas as noites…

Nuno Guronsan disse...

E que bonito é, dares-nos um vislumbre desse mundo cheio de beleza simples e tão natural, tal como as palavras que saem assim...

Bonitos voos, sem dúvida.

Abraço.