10.10.09

Em noites como esta

em noites como esta apetecia-me viajar
sem marcar um destino
estar aqui agora
e depois já não
chegar a algum lado
ainda noite profunda
ninguém nas ruas
somente nós
e os cães vadios a ladrarem
e os candeeiros a marcarem a nossa rota
como se já nos esperassem há muito
andarmos à deriva pela cidade
aqui e além determo-nos
olhar os prédios adormecidos
ao fundo, uma ou duas luzes nas janelas
talvez não sejamos os únicos
- os únicos com insónias
mas nestas ruas somos reis
e numa cidade qualquer
na cidade emprestada
esperávamos o nascer do sol
os primeiros raios de luz
as primeiras pessoas
nas suas rotinas diárias
a cidade que acorda
- para onde irão os cães vadios quando a cidade acorda?
as ruas começam agora a encher-se
as multidões
os cafés abertos
o pequeno-almoço apressado
...e nós aqui
na cidade (agora) acordada
onde somos apenas mais uns
e depois voltarmos
ao ponto de partida
onde sempre retornamos após viajarmos na noite
ao nosso poiso
e aí descansar
com uma nova estória
um novo sorriso

até amanhã.

R.

2 comentários:

Monikyta disse...

inté

bj meu

angel_of _dust disse...

inté também para ti...

...benvinda de volta :)