11.4.10

Acende-se uma luz

Acende-se uma luz - algures.
Existe um fogo - cá dentro.
Há uma inquietude - que treme.
Termina com o dia - o meu sossego.
Depois do fazer.
Agora tenho o querer.
Depois da rotina.
Agora preciso da fuga.
Troco as mãos.
Pouco calejadas - do pensamento.
Pelas asas.
Com muitas marcas - da emoção.
Os olhos verdes - estão cansados.
De muito olhar.
Os olhos verdes - estão ávidos.
De descobrir o que está além.
Os cabelos negros - desalinhados.
Que assim se mantêm porque... sim.
Os lábios - vermelho-vivo.
Do sangue ou paixão.
De ambos.
À medida que vou fechando a porta.
Que dá por encerrada a jornada do dia-a-dia.
Vou abrindo a janela.
Deixando entrar a noite e os seus murmúrios.
Existem vozes que ecoam no fundo da rua.
Ébrios ou perdidos.
Existem sujeitos e predicados por cumprir.
Aqui nesta janela.
E em tantas portas raramente entreabertas.
As ideias revoltas.
Os pensamentos (im)puros.
Esquecer o que se faz.
Inventar o que se deseja.
A fronteira entre o sonho e a prática.
O limite entre o ser e o viver.

Acende-se uma luz.
Uma tocha feita de memórias.
Acende-se uma braseira na alma.
Que nos aquece o corpo.
E (mais que tudo) a alma.
Numa noite que parece não ter fim.
Feita de insónias e inquietações.
Feita de mim.
De cada fotografia que tirei.
E daquelas que imaginei.
Das palavras que fui sangrando.
Neste papel que não se toca.
Mas onde se sente.
As feridas das grandes guerras.
E os sorrisos das pequenas fortunas.
Cada pena das minhas asas.
Cada estória de mim.
Cada marca da minha pele.
Cada acidente do meu corpo.
Tudo o que tem importância.
Nas sombras da noite.
Tudo o que invento.
Tudo o que desejo.
Tudo o que sou...

Acende-se uma luz.
Um fim de túnel.
Uma casa de partida.
Sem destino marcado.
Acende-se uma ordem.
Um imperativo.
Acendem-se todos os poros.
Do corpo que invado e destruo.
Que é o meu reduto.
Sagrado mas também profano.

Acende-se...
... uma (outra) vida.

R.


2 comentários:

HelenaJSM disse...

Lindo,lindo,muito lindo !!!

É sempre um prazer "visitar-te" neste teu cantinho e "descobrir-te" um pouquinho mais!!

Tu e as palavras dão-se lindamente. Parabéns,adorei ler !!!

Obrigada pela partilha.

Beijinho

... a cada instante ... disse...

Parabéns pelo desabafo, pela forma maravilhosa e encriptada como escreves.

Abraço.