24.8.10

Existem noites

Existem noites em que parece que temos tudo
- um bom programa na tv, uma boa música na rádio...
até um livro que nos sabe bem
não precisamos de nada
o nosso pequeno universo de pacatez e reclusão está completo.

Mas noites há em que somos surpreendidos
e mesmo os universos fechados deixam passar pequenas surpresas
palavras que não esperávamos
sorrisos que vemos nascer no canto do lábio
pequenos piscares de olhos que vamos fazendo no vazio da casa.

Noites há em que algo liga um lado interior
um lado de anjos em busca da beleza
de homens em busca de serem mulheres
de crianças querendo ser adultos
e de velhos na esperança de (re)ganharem a juventude.

Sim, existem noites em que não precisamos de nada
- ou assim cremos (queremos?)
e nessas noites somos surpreendidos
por uma nova música
pela tv estar melhor desligada
e por um livro que nunca quisemos pegar
e que agora nos chama.

Mas principalmente existem noites
em que humanos fingindo ser anjos
encontram anjos em forma de gente
e adultos se vêem com a sabedoria de velhos
e a alegria de crianças
e descobrindo que são homens e mulheres
porque neles floresce a ilusão
que não tem género
a ilusão de grandeza
de sermos tudo o que somos e mais
ou a ilusão de nos podermos desligar do mundo
e não sermos nada - além de nós próprios
o que já é muito.

Existem noites calmas
mas que são muito mais.

R.

1 comentário:

HelenaJSM disse...

Sim,existem noites...noites em que conhecemos anjos como tu que escrevem coisas tão lindas quanto as que acabo de ler !

Beijinho

Helena Marques