18.8.10

O problema são as saudades

o problema são (mesmo) as saudades...
o estar aqui - querendo estar aí.
o problema é (efectivamente) a indecisão...
gastar as mãos aqui - impedindo as asas de me levarem.
até perto de ti.

o problema é (de repente) ter saudades inesperadas.
ter saudades de algo novo - de algo bonito.
desembrulhar uma sensação.
como se recebesse um presente.
como se tu fosses uma oferta de aniversário atrasada.
que nem sabia que estava para chegar.
mas que agora - que realmente - chegaste,
já não posso dispensar.
não quero.

(mas) o problema é não poder tocar
esta ilusão.
não poder trocar
olhares e sabores
toques e imagens.
e saber a pouco
estes breves assobios ao vento...
... estas notícias da ilha imaginada.

preciso (mesmo) começar a traçar uma rota.
clara e real.
que me leve daqui... até onde me deixares chegar.

R.

3 comentários:

Sensi disse...

Quanta ternura, apesar das saudades que sempre doem e inquietam.

Traça a tua rota!
Abre as tuas asas e parte
Dessa ilha imaginada.
Abre as tuas asas!
Deixa que elas te conduzam
Aonde o coração te quer levar...

E... ACREDITA!Que alcançarás o teu lugar ao Sol...


BJ
SENSI

PS: Lembrei-me deste poema. Recebe-o em forma de abraço de amizade.

Dizer-te, meu amigo,
que, à uma da manhã
e desta noite,
está lindo o nevoeiro

que um manto de sossego
assim inteiro
eu desejava dar-te
- e ter comigo.

Enviava-te um frasco,
se pudesse,
fechado em carta azul,

ou por fax de sol
(não fora o medo que o sol
o desfizesse)

Assim, mando daqui
esta espessura
de cheiro muito branco
e muito belo:

um manto de ternura
dobado num novelo,
que chegue
até aí.
(Ana Luísa Amaral)

angel_of _dust disse...

sensi: quero mandar-te algo... mas como posso fazê-lo?

Sensi disse...

Olá Dear Angel,

Tens a resposta na tua (outra) morada :-)

BJ

SENSI