26.1.06

...A poeira volta a assentar


Andei perdido... eu sei. Se calhar demasiado ímpeto no começo leva a uma primeira (espero única) quebra prolongada.

Tanto aconteceu desde a última vez que aqui pousei - agora, olho para estes telhados e sinto-os diferentes. Reconheço as mesmas casas, as mesmas ruas, as mesmas pessoas... mas o cheiro e as cores, os sons e os sabores - não são iguais. Talvez esta cidade não seja a minha - ou, então, esta "nova urbe" é a que há muito procuro, e agora começo a achar.

Talvez a "bolha" em que me deixei envolver durante este tempo de ausência me tenha alterado o pensar. Volto a sentir-me insatisfeito... mas não fujo, antes pelo contrário; começa um caminho a delinear-se perante mim - o caminho da ânsia de querer mais, de sonhar mais, de viver e tragar mais e mais e mais...

O caminho está à minha frente. Não consigo evitar segui-lo - não quero evitar segui-lo. Uma nova etapa começou, as minhas asas são agora vermelhas.

O anjo urbano está de volta - em cima do prédio mais alto, na cidade mais longínqua, eu estou aqui.

R.

3 comentários:

matie disse...

Bem vindo de novo neste "mar de bits" interminavel.

angel_of _dust disse...

obrigado companheira... com asas novas (agora vermelhas...), mas sou o mesmo

polegar disse...

finalmente...

e nós estamos aqui. sempre estivemos.