2.3.06

Se precisares de companhia


dentro de mim... estás dentro de mim

Se precisares de companhia - chama por mim... Se me quiseres ao teu lado, eu vou ouvir e voarei na tua direcção.

Encontrei-te quase sem querer; ou encontrei-te porque há muito te buscava no meu íntimo, mesmo sem ter a noção. Mas o certo é que achei o teu rasto e segui-o, mesmo não sabendo o que seguia - quem seguia. E agora, sei tanto de ti como sabia antes... mas, mesmo assim, já estás dentro de mim.

Fazes parte do meu dia-a-dia, mesmo sem um horário definido. Penso em ti como alguém que me faz falta - como alguém a quem eu faço falta. Dou por mim esperando ansiosamente pelo momento em que nos (re)encontramos, mesmo que nessa altura fique sem saber o que dizer. Mas o certo é que apenas o estar, o ficar contigo lado-a-lado (não é assim que sempre dizes que estamos?) basta para que uma luz cá dentro se acenda. Não sei se realmente és a minha musa inspiradora (como muitas vezes te digo), mas fazes-me bem. És o terceiro ouvido, dando descanso aos meus, já cansados de ouvir sempre as mesmas histórias, os mesmos sonhos por realizar... És a boca que diz o que preciso de ouvir... És mel que me torna as noites mais doces.

Também, muitas vezes, dizes que as minhas asas vermelhas te dão conforto, que te abrigam na noite mais fria. Nunca as minhas asas acolheram outra pessoa (ou anjo) como te acolhem agora a ti. Nunca elas se sentiram necessárias a alguém. Por ti - para ti - sinto-me novamente um anjo imortal; ao invés de um anjo caído, que é como me sinto na maior parte dos dias. Por ti, acho (tenho a certeza?) que quero descobrir novamente o caminho para casa; mas, agora, para que te possa levar como visitante. Quem sabe, convencer-te a ficar nessa terra distante onde os anjos vivem perto do mar, reflectindo as suas almas no sol do fim de tarde. Em ti, vejo um anjo azul da cor desse mar imenso - mesmo que não o saibas, há muito já eu o descobri.

Umas vezes de ti, outras por ti. Sempre a teu lado. Por tudo isto, estou em dívida contigo. Se precisares de companhia - se precisares mim - eu vou...

R.

2 comentários:

Mel disse...

não sei bem o que dizer-te. tenho andado assim, sem saber bem o que dizer... ando perdida, nem sei.
a tua musa? ainda não percebi como posso inspirar-te, mas se assim for, é um privilégio.
preciso levantar voo, ainda n decidi a rota...

*

angel_of _dust disse...

todas as rotas são verdadeiras, desde que estejamos certos da nossa vontade... todos os caminhos têm uma dose de erro - é certo - mas se acreditarmos certamente a felicidade acabará por surgir

é só preciso que acredites - deixa-te ir, eu não irei deixar-te cair